Por dentro do Google Maps

Entenda como o Google desenvolveu o serviço de mapas na nuvem tendo em mente o uso em escala para atender pessoas, empresas e governos.

(Texto publicado pela GEOconnexion International Magazine em Junho 2013, adaptado por Felipe Seabra – Gerente de Marketing da Geoambiente – Google Enterprise Partner no Brasil).

Por dentro do Google Maps

Servir bilhões de requisições de acesso a mapas num único dia de maneira praticamente ininterrupta não é algo fácil. Construir uma infraestrutura para processar e gerenciar milhares de updates no mesmo dia também não é nada trivial. E liberar o acesso desse serviço a todas as pessoas com uma interface amigável e com uma facilidade de desenvolvimento jamais vista? Isso sim pode ser um pouco mais complexo e desafiador.

O objetivo do Google Maps é de fornecer tecnologia geospacial para todos, não apenas aos profissionais da área. Num passado recente, o acesso a essa tecnologia pertencia exclusivamente aos departamentos de GIS (sigla em inglês para Sistemas de Informação Geográfica) das grandes empresas de tecnologia. Hoje em dia, o acesso está literalmente nas palmas das mãos de todos nós através dos smartphones por exemplo. A localização geográfica é uma informação preciosa às pessoas, podendo apresentar praticamente tudo: seja a simples localização de um ente querido, o roteiro de uma viagem de final de semana, um mapa para gestão de equipe de vendas de uma empresa ou até mesmo um detalhado plano de emergência integrando dezenas de secretarias de um Governo em questão.

A missão Google foi sempre de organizar todas as informações do planeta e torná-las universalmente acessíveis e úteis. Para uma empresa, acessar terabytes de imagens e dados cartográficos é algo complexo e custoso. Agora, acessar essas informações como uma camada de dados no Google Maps é algo fácil e incrivelmente rápido.

Nos ombros do gigante

A Plataforma Google foi construída para “empacotar” e disponibilizar toda infraestrutura e serviços do Google Maps e Earth para que milhões de usuários/dia possuam acesso às funcionalidades. O uso em escala dos mapas começou em 2005 com o desenvolvimento do Google Maps APIs (interface de programação Google Maps) que hoje é a engrenagem de mais de um milhão de websites e aplicações que acessam, com poucas linhas de programação, a maior base de dados geográficos do universo (diga-se universo, pois existem dados cartográficos detalhados da lua, marte e até debaixo d’água).

artigo1b

O sucesso do serviço Google Maps APIs não é apenas pela disponibilidade de 99.9 por cento de tempo, mas também pela velocidade, simplicidade e familiaridade com o uso dos mapas Google. Fator esse que permite que o desenvolvedor crie uma aplicação não apenas com alto desempenho, mas também com uma cartografia de fácil compreensão. Isso porque o usuário final já acessou o serviço diversas vezes na vida através do mesmo Google Maps. Esse é um fator crucial que faz com que as empresas desenvolvam, cada vez mais, suas soluções apoiadas na tecnologia Google. A necessidade de longos treinamentos é minimizada, pois os usuários não precisam gastar tempo reaprendendo como utilizar um mapa Google e podem se concentrar na real finalidade do serviço contratado.

Os populares Google Maps e Google Earth possuem versões equivalentes para o uso corporativo tais como o Google Maps Engine e o Google Earth Pro que apresentam a mesma aparência e desempenho, mas com funcionalidades e controles de uso diferenciados. Outros produtos como o Google Maps Coordinate, se baseia no Google Latitude, mas ao invés de localizar amigos, as organizações podem localizar funcionários e equipes de trabalho em campo, definindo tarefas e gerindo as atividades. Esses serviços apresentam o mesmo modelo de segurança, acesso e compartilhamento comuns em todas as ferramentas Google. Isso significa que quando estudantes de uma universidade acessam o Google Docs para realizar um trabalho em grupo, eles já sabem como compartilhar os mapas de uma solução corporativa como o Google Maps Engine. Quando um desenvolvedor está construindo aplicações de segurança para o Youtube, ele pode utilizar o mesmo código para desenvolver aplicações com Google Maps Engine, usufruindo da mesma infraestrutura do Google Apps que é utilizada por milhares de empresas de todo o planeta. A grande diferença é que não estamos falando de uma funcionalidade construída sobre a “nuvem de alguém”, trata-se de uma aplicação que nasceu numa infraestrutura utilizada por milhões de usuários/dia

O pilar de todas as coisas

O Google Maps Engine (GME) é a engrenagem da Plataforma Google Maps, pois foi desenvolvido para fornecer a mesma simplicidade e familiaridade do Google Maps e Google Apps, traduzida numa poderosa computação nas nuvens para dados geográficos. A escalabilidade é a mesma oferecida do Youtube e a velocidade idêntica ao do Google Search. Essa ferramenta corporativa permite fazer o upload de arquivos geográficos em formatos como GeoTiffs e Shapefiles, apresenta-los como camadas de mapas customizados ou criar grandes mosaicos de imagens para apoiar aplicações e serviços de mapas.

Para que tudo se tornasse possível, a Google forneceu a mesma infraestrutura de servidores disponível para todos os seus serviços. Recentemente, a gigante de Mountain View apresentou a localização dos datacenters espalhados pelo globo. O mais próximo do Brasil fica em Território chileno cuja localização geográfica foi definida em função de questões ambientais, jurídicas e de segurança. No total são 13 datacenters com dezenas de procedimentos de segurança da informação. Isso inclui robustas medidas de recuperação de desastres no local no caso de incêndio ou qualquer outra interrupção. Num eventual incidente, a Google muda o acesso aos dados de forma automática e transparente para outro centro de dados permitindo que os usuários continuem trabalhando, ininterruptamente.

Podemos afirmar que computação nas nuvens ou “cloud computing” não se trata de quebra paradigma, pois já é uma realidade que suporta praticamente toda tecnologia da atualidade. Fator esse que não poderia ser diferente no universo dos mapas, muito menos no mundo corporativo.

Seria o fim do GIS tradicional?

A entrada de players globais no mundo GIS das empresas e governos não elimina o uso das tradicionais ferramentas de edição e manipulação de dados. Pelo contrario, as novas plataformas contribuem com a popularização do uso dos mapas. O poder de publicação e compartilhamento das informações geográficas nunca foi tão grande e disseminado. Transparência para a gestão pública, melhoria nos processos das empresas, na comunicação entre colaboradores e clientes e facilidade no acesso às informações de uma maneira geral são os benefícios imediatos da nossa realidade. O mundo corporativo conta agora com ferramentas de trabalho tão incríveis como aquelas que já utilizamos em nosso dia-a-dia. Trata-se da expressão “Work the way you live”! (Trabalhe da mesma maneira que você vive!).

artigo1d

Geoambiente e Google trazem ao Brasil a tecnologia Liquid Galaxy

fonte: MundoGEO (por Alexandre Scussel)

Geoambiente, em parceria com a Google e a Endpoint, proporcionará aos visitantes do MundoGEO#Connect 2013 uma experiência única de imersão 3D baseada no Google Earth.

O evento MundoGEO#Connect LatinAmerica 2013 irá acontecer de 18 a 20 de junho em São Paulo (SP), e vai contar com cursos, seminários, fóruns e workshops com as principais tendências do setor de geotecnologia. A Geoambiente já confirmou presença na feira de produtos para Geomática e Soluções Geoespaciais do evento, que contará com mais de 50 empresas expositoras e também universidades.

Lançado em 2005, o Google Earth é um dos softwares de maior sucesso da história. Com muitos recursos e usuários de todo o mundo, ele permite que qualquer pessoa de qualquer lugar consiga visualizar países, estados, cidades, ruas e até sua própria casa. O sucesso é tanto que o software já atingiu a marca de 1 bilhão de downloads.

O Google Earth proporciona aos seus usuários a possibilidade de viajar  facilmente pelo mundo, sem sair de casa. Entretanto, o estande da Geoambiente no MundoGEO#Connect 2013 vai incrementar essa experiência com 5 grandes telas unidas, explorando toda a capacidade de visão do olho humano, inclusive a periférica.

O gigantesco mapa é interativo e pode ser navegado pelos visitantes, através de um joystick e uma tela touchscreen, com possibilidade de zoom para visualização extremamente nítida.

“A sensação de voar pelos cantos mais remotos do planeta, visualizar incríveis imagens do relevo e edificações em 3D com velocidade e resolução surpreendentes é algo fascinante. As cinco telas do Liquid Galaxy fazem uma ‘meia-lua’ que envolvem praticamente todo o campo de visão. Chega a dar até um frio na barriga”, brinca Felipe Seabra, Gerente de Marketing da Geoambiente.

Liquid Galaxy traz 5 telas unidas para visualização muito nítida

Além da base de mapas da Google, o Liquid Galaxy mostrará alguns exemplos do mapeamento cartográfico da Geoambiente, empresa parceira da companhia e responsável pela comercialização do portfólio de produtos Google Maps & Earth no Brasil.

Inscrições abertas

O MundoGEO#Connect LatinAmerica 2013 – Conferência e Feira de Geomática e Soluções Geoespaciais será realizado de 18 a 20 de junho, no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo (SP). O cadastramento gratuito para visitar a área de exposições já pode ser feito online.

As inscrições para as atividades do evento, que este ano contará com cursos, seminários, fóruns e workshops também já estão abertas. Para mais informações, acesse a grade completa e veja as opções de participação.

Evento Online sobre Mapas e Geotecnologia faz parte da estratégia Google de desenvolvimento do mercado corporativo Brasileiro.

Webinar organizado pela maior parceira Google especializada nesse tipo de solução, a Geoambiente, será realizado dia 12/03 com inscrições gratuitas.

Felipe Seabra, Gerente de Marketing da Geoambiente/Google Enterprise Partner

Webinar - Produtos Google - Potencializando o uso dos mapas para seus Negócios Popularizar o uso dos mapas, facilitar a vida das empresas organizando dados geográficos e tornando-os disponíveis a qualquer um e em qualquer lugar. Essa é a visão da gigante Google frente o crescente mercado de Geotecnologia.

Como praticamente 80% das decisões empresariais e principalmente dos Governos possuem uma relevância espacial (“onde”), os dados geográficos como imagens de satélite, mapas e pontos de interesse se tornam cada vez mais integrados aos sistemas de gestão. Relacionar-se com as pessoas certas, otimizar equipes e ativos e tomar melhores decisões. Esses são os benefícios das novas ferramentas geográficas disponíveis no mercado.

Um estudo recente encomendado pela Google revela que os serviços de geolocalização, indicam um movimento entre US$ 150 bilhões e US$ 270 bilhões por ano no mundo. A receita do segmento de geolocalização cresce anualmente 30%, impulsionada pelas novidades que chegam constantemente ao mercado. “Há cada vez mais companhias criando serviços baseados nessa tecnologia”, disse Charlie Hale, analista de políticas públicas de geolocalização do Google.

Após o desenvolvimento do mercado Norte Americano e Europeu, a “bola da vez” é o Brasil. A estratégia da Google em Território Nacional é difundir a genialidade de suas ferramentas de mapas para o mercado corporativo através de parceiros locais especialistas em Sistemas de Informação Geográfica (GIS, sigla em inglês), como a empresa Geoambiente, sediada em São José dos Campos, o polo tecnológico desse tipo de produto no Brasil.

Produtos Google - Potencializando o uso dos mapas para seus Negócios

Produtos Google – Potencializando o uso dos mapas para seus Negócios

O Evento online que ocorre dia 12/03 inaugura a divulgação em massa dessas novas ferramentas no Brasil. O público-alvo do Webinar são tomadores de decisão de praticamente todos os segmentos de Mercado e esferas Governamentais uma vez que mapas, imagens de satélite e ferramentas de busca e apresentação desse tipo de informação ainda são pouco exploradas no país.

Para saber mais sobre o Evento gratuito, mas que possui limite de 1.000 inscritos, acesse: www.maisqueummapa.com.br

 

O mercado GIS de uma maneira jamais vista, mas sempre vislumbrada.

As novas ferramentas de armazenamento, busca e compartilhamento de dados geográfico se tornam cada vez mais eficientes, intuitivas e alcançam novos departamentos, empresas e pessoas em praticamente todas as áreas do conhecimento.

Felipe Seabra, Gerente de Marketing da Geoambiente /Google Partner .

wordpress_materia1Sabe aquelas inovações que encantam e você se pergunta, como ninguém pensou nisso antes? Manipular com agilidade um globo tridimensional na ponta de seus dedos. Ligar e desligar camadas de informações suas, da sua empresa, de seus clientes  e sobrepô-las sobre uma base rica em mapas, imagens e vídeos criteriosamente localizados no espaço geográfico.  Carregar, de maneira rápida e segura, terabytes de informações em servidores espalhados pelos cantos mais remotos do Planeta. Gerenciar seus ativos, suas equipes em tempo real e com o máximo de eficiência. Integrar e trabalhar com diferentes bancos de dados de uma maneira simples e sem a necessidade de longos treinamentos. A realidade agora é outra e a palavra da vez é descomplicar!

Um universo de possibilidades se abriu com a união do útil ao agradável. Em outras palavras, a utilidade inquestionável dos Sistemas de Informação Geográfica ganhou força com as geniais e intuitivas ferramentas de armazenamento, compartilhamento e apresentação de informações que convivemos hoje e que foram muito bem desenvolvidas através das redes sociais e de uma nova geração de aplicativos desenvolvidos recentemente.

Estamos na era da democratização do uso dos mapas, da massificação da Geografia. Mapa para todos! Esse seria o slogan da nova era. Um estudo recente encomendado pela Google e publicado recentemente no Valor Econômico, revela que os serviços de geolocalização, indicam um movimento entre US$ 150 bilhões e US$ 270 bilhões por ano no mundo. Em nome da comodidade e da rapidez, mesmo quem não é fã da tecnologia aprendeu a usar novidades que ajudam o usuário a chegar em algum lugar, como mapas digitais, sistemas de navegação via satélite e softwares de busca por estabelecimentos comerciais, como restaurantes e lojas.

No mundo corporativo, a Geografia é muito mais que um mapa, é sinal de melhoria no relacionamento com clientes e na otimização de equipes e ativos. Mais do que isso, significa tomar decisões de alto nível apoiadas por incríveis aplicações e ferramentas.  Nesse sentido, se destacam as empresas que valorizam a atividade criadora de seus profissionais uma vez que as possibilidades estão mais tangíveis do que nunca. Esse é o momento de mudar, de ouvir, de buscar parcerias estratégicas, de concretizar sonhos. O ano de 2013 se torna um marco na história da geotecnologia e da própria geografia. Sejam todos bem vindos!

Conheça como a Geoambiente e a solução Google Maps Coordinate podem apoiar o seu negócio

A Geoambiente, revenda dos produtos Google no Brasil, apresenta o Google Maps Coordinate, ferramenta de gestão de força de trabalho que aperfeiçoa a eficiência de seus times móveis. Com ela todos os membros das equipes podem ser vistos em um mapa do Google e através do endereçamento de serviços para a equipe mais próxima, mais tarefas podem ser completadas em um período menor de tempo.

Os trabalhadores de campo podem visualizar informações detalhadas sobre a tarefa, assim como adicionar suas próprias anotações, que são imediatamente armazenadas na nuvem. E os gestores ainda podem fazer análises, como o histórico de localização de cada trabalhador.

Venha conhecer mais sobre nossas soluções em nosso site: www.geoambiente.com.br